Google Tag Manager

domingo, 29 de novembro de 2009

A bit of humor for Cariocas before Rio 2016

A bit of humor
Uma pitada de humor nas placas do Rio de Janeiro
Confira!
Check it out!


sábado, 28 de novembro de 2009

Iridologia e Astrologia (transcrito com autorização do autor)

IRIDOLOGIA E ASTROLOGIA

Métodos de compreensão humana dentro da prática naturológica

Daniel Nunes
Aos poucos a Astrologia conquista espaços no meio acadêmico graças a pesquisas interdisciplinares desenvolvidas por estudiosos de diversas formações. Este artigo resume um estudo clínico combinando ferramentas de Iridologia (diagnóstico pela íris) e Astrologia, apresentado como trabalho de conclusão do curso superior de Naturologia Aplicada da UNISUL, em Florianópolis.
OlhoEste estudo teve o objetivo de verificar, através da comparação com a avaliação iridológica, como o conhecimento astrológico pôde ser útil na compreensão dos processos de desequilíbrio dos indivíduos. Os dados do interagente foram submetidos à avaliação iridológica e astrológica. Por se tratar de apenas um interagente, não se pode considerar este estudo como uma comprovação efetiva da Astrologia como um método de compreensão da natureza humana, mas os resultados obtidos apontam para esta possibilidade.
A Naturologia utiliza alguns métodos de avaliação que possibilitam compreender o interagente. Todos eles admitem a teoria holográfica, no sentido de que partes do corpo (pés, face, íris) representam o interagente como um todo.
Partindo da constatação de que a Astrologia permeia todas as tradições e linhas de pensamento abordadas dentro do curso de Naturologia e de que, assim como os outros métodos de avaliação do profissional naturólogo, também se fundamenta na teoria holográfica, este estudo tem por objetivo verificar como o conhecimento astrológico, ao ser comparado com o conhecimento iridológico, pode ser usado na compreensão dos desequilíbrios presentes no interagente.

Apresentação do caso

O interagente, casado, com 28 anos, militar com a patente de cabo, procurou a Naturologia com a queixa de dores nas articulações (braços, pernas e ombros) e na região lombar. Estas dores, segundo ele, existiam há alguns anos. Entretanto, ao ser transferido do setor administrativo do quartel para a carpintaria, suas dores diminuíram de intensidade, mas sem deixar de incomodá-lo.
Quando ainda trabalhava no setor administrativo do quartel, sentia que esse trabalho lhe conferia um estado de estresse, aumentando suas dores. Depois de ser transferido para a carpintaria, suas dores aumentavam quando tinha muito trabalho, mas ainda permaneciam mais fracas do que antes.
Na carpintaria costumava se destacar por suas habilidades. Sempre que alguém precisava encontrar soluções que envolvessem conhecimento técnico e agilidade mental, era a ele que procurava. Entretanto, ele relatava ter dificuldades em transmitir seus conhecimentos, bem como de saber compreender as dificuldades dos outros para entender ou realizar aquilo que estava ensinando. Segundo ele, se esforçava e também se sentia bem em dar boas explicações, chegando a fazer isso uma ou duas vezes, mas quando o soldado que era seu subordinado não conseguia executar corretamente o que foi pacientemente explicado, perdia o controle e tinha explosões de raiva.
Estas explosões, segundo ele, aconteciam com qualquer pessoa, principalmente em momentos em que ele esperava que estas pessoas fizessem corretamente algo explicado por ele, ou que supostamente elas deveriam fazer ou saber fazer. Ele não gostava de ter tais explosões e dizia que muitas pessoas se assustavam, pois jamais imaginariam que ele, com seu jeito calmo, fosse capaz de uma reação como aquela.
Quando criança, gostava muito de estudar, mas seus pais não queriam. A mãe, segundo ele, lhe pedia para parar de estudar e brincar. O pai o levava, desde os sete anos, para seu trabalho de pedreiro, o que lhe agradava, pois, segundo ele, gostava de aprender, mas isso aconteceu durante todo o tempo em que estudou: passava as manhãs na escola e as tardes com o pai, sempre escutando de seu pai que não perdesse tempo estudando e aprendesse logo algo para se sustentar financeiramente. Quando o pai não o levava para o trabalho, chegava sem lhe dar atenção alguma. Quando dava, era para lhe bater por algo que havia feito de errado. O interagente conta também que a mãe era muito brava e que muitas vezes ele acabava apanhando somente por ter chegado machucado de alguma brincadeira na rua.
À medida que crescia, não diminuía sua vontade de estudar, mas aumentava a resistência dos pais, que acreditavam ser importante que o interagente encontrasse um trabalho. Chegou a concluir colégio técnico e iniciou dois cursos de graduação que não lhe trouxeram interesse. O interagente relatou ser seu maior desejo estudar engenharia. Contudo não o fazia por esperar um momento oportuno onde haveria uma condição financeira segura.

Resultados e Discussão

Inicialmente, ao se procurar compreender o interagente através da Iridologia, pode-se observar, pela Iridologia alemã, um padrão hematogênico com ansiedade tetânica e, pela Iridologia comportamental, um padrão corrente-flor. De um lado, uma íris hematogênica com ansiedade tetânica diz respeito a pessoas com comportamento irritável e impaciente, podendo ter explosões psíquicas violentas, mas que, devido aos anéis de tensão que caracterizam a ansiedade tetânica, tendem a controlar esta característica emocional, podendo ocasionar as explosões somente quando não há mais como evitá-las, aumentando sua intensidade. Por outro lado, o padrão corrente-flor é fisicamente sensível e reage aos outros com gestos delicados e controlados, se bem que, por sua característica flor, tenha um incremento maior de características emocionais.
Mapa Iridológico
A Iridologia estabelece correlações entre regiões da íris e órgãos e sistemas do corpo humano. Assim, certos padrões identificados na íris podem permitir o diagnóstico das disfunções correspondentes, tanto no nível psicológico quanto somático. A figura acima é um mapa da íris do olho direito. Mapas como este fazem parte do dia-a-dia do iridologista.
Dentro da visão astrológica, pode-se observar um conjunto de fatores que também estariam associados a esta característica. Primeiro, como existe uma concentração de planetas em signos dos elementos Fogo, Terra e Água tem-se, em Fogo-Água, “[...] uma combinação de intensidade e de extremos emocionais [...] que demonstram uma acentuada falta de autocontrole [...] em muitos casos tem mudanças de humor extremamente graves.” (ARROYO).
Por outro lado, “[...] o elemento Terra tende a ser cauteloso [...] não sendo particularmente agressivo.” (ARROYO). O elemento Terra pode ser considerado como o fator que controla a efervescência da combinação Água-Fogo.
Para se compreender como esta configuração de elementos se manifestou deste modo específico, pode-se olhar para a relação entre Marte e Saturno encontrada na carta natal do interagente.
Marte representa o princípio lutador do homem, devendo ser usado sempre que uma pessoa se defronta com conflitos ou desafios à sua individualidade, nos ajudando a assumir a postura de quem somos, desejamos ou valorizamos (GREENE & SASPORTAS).
Mapa do interagente
Carta natal do interagente. Dados natais não fornecidos
para não permitir a identificação.
Já Saturno é símbolo de um processo psíquico onde dor, restrição e disciplina são usados como um meio de ampliar a consciência. As experiências frustrantes associadas a Saturno são necessárias para se alcançar um estado de maior integração psíquica (GREENE).
Quando Saturno está ligado a Marte, principalmente em mapas de homens, a compreensão do significado da masculinidade é afetada. Através deste aspecto, é comum haver, na infância, a frustração da vontade na relação com os pais através de alguma forma de brutalidade, que pode-se dar subjetiva ou objetivamente (GREENE).
Com a frustração da experiência relacionada a Marte, pode ocorrer de o indivíduo desenvolver uma personalidade violenta, bem como desenvolver doenças como uma forma de agressão ao próprio corpo (GREENE).
O interagente, ao falar de sua relação com os pais, além de citar a restrição de seu desejo de estudar, citou que era comum ser repreendido fisicamente pelo pai ou pela mãe, através de surras que aconteciam com freqüência. Pode-se dizer também que, além de não conseguir controlar suas explosões emocionais, o interagente relata dores nas articulações de pernas e braços, bem como nos ombros e na região lombar. Mais adiante será dada maior atenção a esta informação, que era a queixa principal do interagente.
Quando se observa o mapa rayid, percebe-se na íris do interagente uma concentração de pétalas na área de carinho, que:
[...] mostra a orientação recebida dos pais ou o grau e a qualidade do afeto físico. Uma flor ou ausência de fibras na área do carinho mostra que a pessoa não recebeu a necessária orientação ou demonstrações suficientes de carinho. No aspecto positivo, a ausência de carinho pode ajudar a criar a autoconfiança (JOHNSON).
Ao estar ligado à Marte, “Saturno oferece a oportunidade de uma compreensão mais profunda da natureza da vontade pessoal e da natureza do poder e do controle.” (GREENE).
olho verdeQuando se recorda o relato do interagente – desde criança havia um desejo de estudar que não encontrou apoio paterno e materno –, pode-se entender uma representação de falta de orientação e atenção por parte dos pais, o que poderia estar relacionado à presença de pétalas na área iridológica de carinho, ao se observar sua íris através do mapa rayid.
O desejo de estudar pode ser entendido astrologicamente por alguns fatores encontrados na carta natal.
A terceira casa diz respeito inicialmente à relação da criança em desenvolvimento com o ambiente, onde esta criança começa a descobrir a extensão de suas faculdades, precisando aprender rapidamente como o mundo funciona para poder sobreviver às dificuldades que podem existir à sua volta (RUDHYAR). Uma conjunção entre Marte e Sol nesta casa caracteriza um impulso vital pelo aprendizado, que pode se dar tanto no sentido de um aprendizado intelectual quanto no sentido de um aprendizado que envolva habilidades práticas (GREENE & SASPORTAS).
Com relação a estas duas formas de aprendizado – prático e intelectual – existem alguns fatores importantes a serem analisados.
Para que se compreenda melhor a forma na qual se deu este aprendizado, faz-se necessário ater-se à ligação de Marte e Mercúrio, sendo que estes dois planetas também se ligam a Júpiter e Saturno.

Mercúrio em Sagitário e ligado a Júpiter traz uma mente animada, cheia de visão e inspiração, podendo manifestar um grande interesse pelo aprendizado, por filosofia e leis universais (GREENE & SASPORTAS). Não importa qual campo de estudo ou área de interesse que estas pessoas busquem, elas o fazem com tremendo entusiasmo e um amplo interesse (ARROYO).
Este é um ponto importante. Júpiter e Mercúrio estão ligados a Marte, sugerindo que, na luta pela sua individualidade (Marte), o indivíduo teria como ferramentas as qualidades representadas por estes planetas (Júpiter e Mercúrio).
Assim, o desejo de estudar observado no interagente seria uma expressão do desejo por aprender a vencer os obstáculos de sua vida. Entretanto, tem-se também Saturno ligado a Mercúrio e Marte. Os aspectos Marte-Saturno podem retardar ou prejudicar a afirmação (GREENE & SASPORTAS).
Isto pode estar ligado às dificuldades experimentadas pelo interagente quanto à vontade de estudar: o desenvolvimento de seu poder de afirmação estaria ocorrendo através desta vontade e, desta forma, este poder teria sido prejudicado.
Quando Saturno está ligado a Mercúrio, pode-se observar, como pano de fundo, uma educação restritiva, podendo acontecer a própria negação da educação, prejudicando a capacidade de se abordar a vida com um interesse mental, principalmente quando há a falta do elemento Ar na carta natal (GREENE).
Entretanto, como já foi discutido, as posições de Marte e Sol na terceira casa, bem como a relação entre Mercúrio e Júpiter, trariam este impulso vital pelo aprendizado, prático ou intelectual. O que faria a diferença em relação às formas de aprendizado seriam neste caso as demais condições astrológicas, bem como os estímulos familiares e culturais (GREENE).
olho pentagonalQuanto aos estímulos familiares, como já foi dito, o interagente relatou não ter recebido qualquer estímulo intelectual por parte dos pais. Entretanto, o pai o levava para o trabalho para que ele, desde cedo, aprendesse o ofício de pedreiro. O interagente, por outro lado, mesmo que sentisse uma grande necessidade de estudar, gostava de poder acompanhar seu pai, pois, segundo ele, podia aprender várias coisas que também lhe agradavam. Aqui encontra-se uma indicação de circunstâncias que o aproximaram de um aprendizado prático, ao mesmo tempo em que era afastado do aprendizado intelectual.
Quanto às condições astrológicas, pode-se primeiro observar a grande falta de planetas e posições em signos do elemento Ar. Este elemento faz com que o indivíduo tenha facilidade em lidar com conceitos e teorias, bem como ter um ponto de vista imparcial sobre a experiência cotidiana (ARROYO).
O fato de o interagente não dispor do elemento Ar em sua carta natal faz com que não exista uma afinidade natural com as características deste elemento. Isto pode ser observado tanto em sua característica emocional quanto na dificuldade que diz ter em transmitir seus conhecimentos, que poderia ser entendido como uma forma de não se saber lidar com conceitos e teorias.
Dentro da Iridologia, as características citadas do elemento Ar correspondem ao padrão jóia, dentro da Iridologia comportamental, bem como ao linfático, dentro da Iridologia alemã. Ambas as características não são encontradas na íris do interagente.
De outro lado, a combinação Fogo-Terra oferece uma base prática e um grande desejo de produzir formas tangíveis (ARROYO), o que pode ser confirmado quando o interagente diz que se destaca em seu trabalho na carpintaria, sendo procurado para resolver problemas que exigem a aplicação de conhecimentos técnicos e práticos.
Outro fator astrológico importante para se compreender a escolha pelo aprendizado prático seria a ligação entre Mercúrio e Saturno, já que as lições práticas da vida cotidiana são mais atraentes para o temperamento Mercúrio-Saturno e, muitas vezes, verifica-se o desenvolvimento compensador de uma grande facilidade em lidar com assuntos materiais (GREENE).
Para a Iridologia, tanto a íris hematogênica quanto a íris corrente-flor, que são os padrões apresentados pelo interagente, estão relacionadas a uma afinidade natural pelo aprendizado prático, onde as experiências, principalmente para o padrão corrente-flor, seriam a base para o verdadeiro aprendizado. Isto pode ser observado quando o interagente diz que gostava de acompanhar seu pai, mesmo que isto representasse não poder estudar, pois deste modo podia aprender diversas coisas que considerava interessantes.
Tudo aponta para o fato de que muitos potenciais relacionados à posição de Marte no mapa do interagente não puderam ser expressados, e que possivelmente estão ligados às experiências de sua infância, fase em que, além de ter recebido muitas surras, não recebeu estímulo para desenvolver o que era seu maior desejo: estudar.

Assim, a partir do momento em que há a frustração da experiência relacionada a Marte, que representa o princípio lutador do homem e que deve ser usado sempre que uma pessoa se defronta com conflitos ou desafios à sua individualidade, o indivíduo pode manifestar este princípio lutador através de explosões de cólera, ou produzir doenças como uma forma de agressão a si mesmo.
carpinteiroEntretanto, quando se observam certos fatores da carta natal do interagente, seu Marte “não utilizado” passa a poder ser considerado um significador de doença. O signo do Ascendente (ou primeira casa) é Escorpião e o signo da sexta casa é Áries. Marte é o regente do signo de Áries e co-regente do signo de Escorpião (Plutão é seu regente). Entretanto, quando se observa o planeta que rege o signo Ascendente, deve-se ater ao planeta pessoal e não ao planeta transpessoal em casos de signos que tenham regente e co-regente (PATRICK). Assim, verifica-se que Marte rege as duas casas mais importantes no que se refere à significação de problemas.
No caso de produzir doenças, as posições de Marte e Sol em Capricórnio referem-se justamente às áreas das quais ele se queixa (tabela encontrada no livro de Patrick). Capricórnio é o signo que rege toda a estrutura óssea do corpo, e um desequilíbrio envolvendo este signo pode resultar em algum tipo de manifestação nesta estrutura. Entretanto, Marte nesta posição focaliza a regência de Capricórnio para braços, ombros, joelhos e pernas, enquanto o Sol focaliza para as costas.
Estas regiões correspondem à queixa principal do interagente, o que pode ser considerado uma canalização não saudável das formas de expressão destes planetas na direção do corpo, já que a expressão natural foi obstruída. Isto pode ser considerado uma forma de autodestrutividade, que já foi citada como uma das possibilidades da ligação entre Marte e Saturno.

Dentro da Iridologia clássica, podem-se observar sinais nas regiões iridológicas de braços, pernas, lombar e escápulas, que podem indicar possíveis disfunções nas regiões correspondentes. Juntamente com estes sinais, observa-se também a presença de estados de acidez e anemia de extremidades que poderiam provocar dores articulares, principalmente nas regiões de mãos, braços e membros inferiores. É importante ressaltar que não é comum numa pessoa jovem a presença de anemia de extremidades, que indicaria, assim, que houve um grande gasto de energia, que também pode ser confirmado pela presença de sinais na região iridológica de vitalidade em ambas as íris.
Este gasto excessivo de energia pode estar ligado ao fato de o interagente, desde os sete anos, ter tido de acompanhar seu pai na construção civil, sendo privado de ser uma criança livre para fazer o que quisesse.
A posição do Sol em uma carta natal indicaria a forma através da qual nos conectamos com o centro dinâmico de nossa consciência, sendo-nos permitido, assim, nos alimentarmos da energia que provém deste centro. A casa do Sol indica uma área da vida onde precisamos ser bem-sucedidos ou nos destacarmos de algum modo. É nela que precisamos nos sentir especiais. Dedicando-nos às atividades associadas a essa casa, vemos forjar uma noção mais clara de ego, de identidade (GREENE & SASPORTAS).
Como já foi dito, a terceira casa diz respeito ao modo como a criança começa a descobrir a extensão de suas faculdades, precisando aprender rapidamente como o mundo funciona para poder sobreviver às dificuldades que podem existir à sua volta. O interagente, ao ser privado de expressar sua natureza no que diz respeito à vontade de estudar, estaria não somente deixando de expressar sua natureza relacionada ao planeta Marte, mas também sua natureza solar, já que Sol e Marte estão ligados entre si, dentro desta casa.
Todas as pessoas encontram uma forma de expressar sua natureza solar, ainda que não seja a forma mais abrangente de se fazê-lo (GREENE & SASPORTAS). Quanto ao interagente, mesmo que hoje consiga expressar parte de sua natureza através do trabalho na carpintaria, não parece que isto lhe traga a satisfação e o preenchimento interior que podem ser vivenciados através da expressão solar, pois costumava se queixar de seu trabalho, além de ter as dores nas regiões citadas, que podem ser consideradas, como já foi dito, um desequilíbrio relacionado à expressão de Marte e Sol no signo de Capricórnio.
Assim, o fato de o interagente trabalhar dentro de um ofício que envolva o uso de habilidades práticas seria uma forma de expressar o potencial destes planetas (Marte e Sol). Entretanto, os desequilíbrios que ele vivencia trazem uma indicação de que seria somente parte deste potencial que ele teria conseguido expressar até aquele momento. É importante ressaltar que seu sonho, afirmado durante o período de interagência, era estudar engenharia.
Baixe a monografia original, apresentada como trabalho final do curso superior de Naturologia da UNISUL, em formato PDF. [arquivo .zip de 344kb]
Saiba mais sobre Daniel Nunes.

domingo, 22 de novembro de 2009

O que é a Iridologia? (fonte: http://www.projetoplatano.com.br)

IRIDOLOGIA

A iridologia é uma ciência-arte cujo método propedêutico permite, através da íris, conhecer num dado momento, a constituição geral e parcial do indivíduo, bem como os estágios evolutivos, agudo, sub agudo, crônico e degenerativo das alterações que acometem um ou mais órgãos, ou o organismo como um todo. Tudo isso se expressa e é refletido na íris, através de uma topografia, onde cada órgão encontra-se representado em um ou mais mapas iridológicos, permitindo uma abordagem completa do ser vivente. (BATELLO, 1999; JENSEN, 1992; DEMEA, 2005).

Segundo Jensen (1992), iridologia é uma ciência por meio da qual o médico define pelas marcas e sinais encontradas na íris do olho, as condições reflexas dos órgãos do corpo. Em outras palavras, é a ciência que determina etapas agudas, sub agudas, crônicas e degenerativas nos órgãos enfermos, mediante o exame das áreas correspondentes que existem na íris, na qual se podem observar também os depósitos de drogas, as debilidades inerentes e os hábitos de vida de um paciente no que diz respeito a sua alimentação, especialmente se ela é constituída de alimentos que favorecem ou impede o perfeito funcionamento gastrointestinal.













A iridologia revela as características inerentes dos tecidos de um órgão; mostra as mudanças tecidulares resultante de tratamentos adequados ou incorretos; é uma verificação do médico e do paciente acerca da melhoria que este tem experimentado; é um conhecimento dos sinais da enfermidade que se complementa com hábitos naturais de vida que promovem a saúde e erradicam as condições patológicas.

Para John Andrews, iridologia é uma combinação de ciência e arte de analisar a íris, onde nela encontra-se a projeção de um mapa do corpo e de seus vários sistemas com suas debilidades inerentes e sua condição atual de funcionamento, bem como a interação entre os diversos sistemas do organismo. Segundo Andrews, a iridologia ajuda a identificar os caminhos subjacentes de uma circunstância, de maneira que um paciente pode atentar para a avaliação pela iridologia não como “um diagnóstico completo”, mas como um meio de localizar as causas de um problema e aprender como estes podem ser tratados ou equilibrados.Ainda segundo Andrews, muitas pessoas recorrem a iridologia com situações crônicas de muitos anos, como em casos de constipação intestinal, artrites ou eczemas. Já uma pequena porcentagem busca a iridologia em um estado de saúde, buscando assim permanecer, ou seja, recorrem a esta ciência como um método preventivo. Aliás, Andrews ressalta ser este o principal papel da iridologia, uma técnica que vai à frente, onde é possível identificar as tendências e predisposições genéticas pessoais e o grau de risco daquele individuo. A iridologia pode freqüentemente revelar a causa de um distúrbio e de muitas outras situações que no paciente apresenta uma multidão de sintomas, o que muitas vezes confunde o diagnóstico convencional.

John Andrews tal como outros nomes da iridologia também reconhece que esta ciência não é uma panacéia. Ele aponta as limitações da iridologia, ou seja, o que ela não pode revelar: Infecções bacterianas, infecções fungosas, parasitas, cálculos biliares e renais, gravidez, cirurgias ou extração de órgãos, tempo de vida de uma pessoa, etc. Mas argumenta Andrews que, embora muitos considerem a iridologia como algo místico ou parte do ocultismo, ela tem um potencial enorme quando praticada corretamente.
Infelizmente, na atualidade, devido à postura de alguns iridologistas, ela tem sido colocada no campo das linhas místicas, espiritualistas, o que faz com que ela seja pouco estudada ainda ou que surja mais trabalhos científicos nesta área tão importante que é a prevenção, pois como instrumento preventivo, ela é sem igual. Quando se vai a um consultório médico, qual é a primeira pergunta que um médico faz? Normalmente ele quer saber: Qual é o motivo da consulta? Ou, o que você ta sentindo? Quais os sintomas que você ta apresentando? Pois ele depende de um histórico do paciente para começar uma avaliação. Já para um bom iridologista, a primeira exigência é: Não me conte nada antes. Deixe seus olhos falarem primeiro. Pois embora a iridologia não mostre doenças, ela pode mostrar onde está em desequilíbrio. Ela não mostra os sintomas, mas pode mostrar a causa dos sintomas.

Mas por vários países da Europa, na Ásia e também nos Estados Unidos já existem trabalhos científicos que mostram a importância da Iridologia como um método que vem colaborar muito com o médico na elaboração do quadro clínico do paciente. Se pesquisarmos na literatura especializada, vamos encontrar monografias de graduação no ensino superior, dissertação de mestrado e até tese de PhD em cima da validação da iridologia.

Outra área em que se está explorando as informações contidas na íris é a da segurança, pois já se constatou que a íris tem cerca de três vezes mais caracteres do que a digital, portanto uma fonte muito mais rica de informação, podendo ser usada na identificação de pessoas. Já existe em caráter experimental em alguns aeroportos da Europa, como em Londres e Amsterdã, um sistema de identificação de pessoas através de um software que tira a foto da íris e deixa registrado ali para futuras identificações.

No Brasil, está em andamento um projeto conhecido como Glucoíris, onde é usado um equipamento desenvolvido pelos pesquisadores do Laboratório de Metrologia e Automatização (LabMetro) em parceria com o Instituto de Engenharia Biomédica, ambos da UFSC(Universidade Federal de Santa Catarina) para quantificar a glicemia através da alteração de cor da íris. Já existe até uma dissertação de mestrado na Escola de Engenharia de São Carlos, na Universidade de São Paulo realizado o ano passado (2007), onde a autora Deise Mota Alves faz a sua fundamentação teórica na qual já reconhece a iridologia como uma ciência que colabora em muito com a medicina convencional na avaliação do estado de saúde das pessoas.

Fonte: http://www.projetoplatano.com.br/





MEGA-CÓLON







PROLAPSO DO CÓLON TRANSVERSO




ALTERAÇÃO FÍGADO E PÂNCREAS






ALTERAÇÃO HEPATICA COLESTEROL CALCIFICAÇÕES




ALTERAÇÃO VALVULA CÁRDIA




HIPOCLORIDRIA

Características mutáveis e imutáveis da iris do olho

O estudo da biometria da iris se baseia nas caracter?sticas imutáveis da iris do olho humano tornando muito segura a identificação por esta metodologia. Entretanto, existe o aspecto da mutabilidade de alguns sinais presentes na iris humana que se prestam para a verificação da existencia de vida. Algoritmos mais atualizados identificam estes elementos permitindo distinguir uma imagem escaneada da iris ou um olho de vidro de uma iris de uma pessoa viva.
Elementos mutáveis e imutáveis se associam assim nesta parte do olho, que é um orgão ligado diretamente ao cerebro.
A parte imutável da iris do olho vem sendo estudada tambem por iridólogos na metodologia de auto-conhecimento e de identificação de característiscas de personalidade e comportamento. Estudiosos tem associado determinadas características comportamentais a determinados traços dominantes da iris.
O aspecto da mutabilidade da iris é estudada pelos iridólogos principalmente no que tange a efeitos da alimentação inadequada de uso contínuo e sua influência em vários orgãos do corpo, que tem sua representação na iris humana.
Nossa proposta é reunir neste blog o conhecimento disponível a respeito de varias fontes.

sábado, 21 de novembro de 2009

Biometrio - Biometria - Identificação

Biometria
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto.


Acesso à Disney World através do reconhecimento da impressão digital
Biometria [bio (vida) + metria (medida)] é o estudo estatístico das características físicas ou comportamentais dos seres vivos. Recentemente este termo também foi associado à medida de características físicas ou comportamentais das pessoas como forma de identificá-las unicamente. Hoje a biometria é usada na identificação criminal, controle de acesso, etc. Os sistemas chamados biométricos podem basear o seu funcionamento em características de diversas partes do corpo humano, por exemplo: os olhos, a palma da mão, as digitais do dedo, a retina ou íris dos olhos. A premissa em que se fundamentam é a de que cada indivíduo é único e possuí características físicas e de comportamento (a voz, a maneira de andar, etc.) distintas.
Em geral, a identificação por DNA não é considerada, ainda, uma tecnologia biométrica de reconhecimento, principalmente por não ser ainda um processo automatizado(demora algumas horas para se criar uma identificação por DNA).
Hoje a biometria é usada na identificação criminal, controle de ponto, controle de acesso, etc. Os sistemas chamados biométricos podem basear o seu funcionamento nas características de diversas partes do corpo humano, por exemplo: os olhos, a palma da mão, as digitais do dedo, a retina ou a íris dos olhos. A premissa em que se fundamentam é a de que cada indivíduo é único e possuí características físicas e de comportamento (a voz, a maneira de andar, etc.) distintas.
Índice [esconder]
1 Tipos de biometria
2 Processos chave
3 Reconhecimento da íris
4 Ligações externas
[editar]Tipos de biometria

A- Veias: fiabilidade média , difícil de defraudar, alto custo.
B- Impressão digital: método mais rápido, fiabilidade alta e baixo custo.
C- Reconhecimento da face: menor fiabilidade, rápido e de baixo custo.
D- Identificação pela íris: muito fiável, imutável com o passar dos anos, alto custo.
E- Reconhecimento pela retina: fiável, imutável, leitura difícil e incómoda na medida em que exige que a pessoa olhe fixamente para um ponto de luz, alto custo
F- Reconhecimento de voz: menos fiável, problemas com ruídos no ambiente, problemas por mudança na voz do utilizador devido a gripes ou stress, demora no processo de cadastramento e leitura, baixo custo
G- Geometria da mão: menos fiável, problemas com anéis, o utilizador precisa de encaixar a mão na posição correcta, médio custo.
H- Reconhecimento da assinatura: menos fiável, algumas assinaturas mudam com o passar do tempo, também há problemas na velocidade e pressão na hora da escrita, médio custo.
I- Reconhecimento da digitação: pouco fiável, demora no cadastramento e leitura, baixo custo
J- Tecnologias futuras: odores e salinidade do corpo humano, padrões das veias por imagens térmicas do rosto ou punho, análise de DNA
[editar]Processos chave

Os principais componentes de um sistema biométrico são:
Captura: aquisição de uma amostra biométrica;
Extracção: remoção da amostra de informações únicas do indivíduo, o resultado é chamado de template;
Comparação: comparação com a informação armazenada no template.
[editar]Reconhecimento da íris



A íris humana está bem protegida e, apesar de ser uma parte do corpo externamente visível, é uma componente interna do olho. Não é determinada geneticamente e acredita-se que as suas características se mantenham durante toda a vida (excepto quando ocorram lesões por acidentes ou operações cirúrgicas). Estas características são altamente complexas e únicas (a probabilidade de duas íris serem idênticas é estimada em cerca de 1 em 1078, o que a torna interessante para a identificação biométrica).
O processo de reconhecimento começa com a aquisição de uma fotografia da íris tirada sob uma iluminação infra-vermelha. Apesar da luz visível poder ser utilizada para iluminar o olho, as íris de pigmentação escura revelam maior complexidade quando sob iluminação infra-vermelha. A fotografia resultante é analisada utilizando algoritmos que localizam a íris e extraem a informação necessária para criar uma amostra biométrica.
Esta técnica é relativamente nova e, visto que quase todos os algoritmos de identificação estão patenteados, a maior parte dos relatórios e testes tem sido conduzidos de modo muito superficial. Aparentemente não foram efectuados testes específicos para pessoas cegas ou com deficiências visuais. Portanto, as taxas de precisão e de aceitação até ao momento divulgadas tendem a ser baseadas apenas nas análises feitas em pessoas fisicamente capazes de utilizar a tecnologia.
No entanto, nem todas as pessoas cegas e com deficiências visuais serão incapazes de utilizar esta técnica. De facto, é bem possível que muitos dos indivíduos possam interagir com o reconhecimento da íris, embora com vários graus de dificuldade diferentes.
[editar]Ligações externas

Matérias da Folha de São Paulo sobre Biometria
Introdução à Biometria - infowester.com
Biometria
Consultores Biometricos
Leitores Biométricos - Akiyama
Categorias: Tecnologia | Biometria

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda