Google Tag Manager

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Diretoria Nacional do Senai aprova recursos didáticos

A Diretoria Nacional do Senai - Senai DN, através do seu Banco de Recursos Didáticos viabiliza o compartilhamento de recursos didáticos do Senai entre os seus colaboradores, conforme as regras definidas no Banco de Recursos Didáticos do Senai.


Antes dos recursos sugeridos serem aprovados e disponibilizados para compartilhamento, os mesmos são avaliados sob vários critérios: de conteúdo, técnicos e de qualidade para que estejam de acordo com as normas do Senai a respeito e que sejam materiais relevantes e atuais.


Tive a honra de ter todos os recursos que sugeri aprovados no primeiro lote de sugestões e ter agora um segundo lote de recursos em fase de análise, aguardando liberação.


Confira a lista  dos recursos que sugeri no primeiro lote, já aprovados abaixo.
Nota, o material é protegido por direitos autorais e tem o seu compartilhamento regulamento pelas regras do site. Seu uso é destinado aos docentes do Senai.


http://recursosdidaticos.sc.senai.br/recursos/minhaestante/liberados


LIBERADOS

Recursos sugeridos para o BRD que foram liberados


Tipo do Recurso Apostila

PRD07 Apostila Pronatec Qualificação Assistente de Produção
Resumo da Profissão de Almoxarife ou Estoquista

Tipo do Recurso Apresentação de Slides

Pronatec Acordo Pedagogico
PRD3 Pronatec Soldado Cidadão Proposta de Qualificação
PRD4 Pronatec Ferramentas da Qualidade
PRD 5 Pronatec Qualificação Assistente de Produção Materiais
Projeto Melhor Negócio os 20 Padrões do Empreendedorismo
Técnico de Logística - Gestão de Suprimentos
Pronatec Assistente de Produção Matriz Curricular e Check List 8 slides

Tipo do Recurso Documentos Internos SENAI

Documento Norteador do Núcleo de Gestão do Senai Blumenau - Plano de ensino na Educação por Competências

Tipo do Recurso Website

Senai Hoje

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Qual a origem da danca

Qual a orígem da dança?

Fonte: Wikipedia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a

A dança é uma das três principais artes cênicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. No antigo Egito já se realizava as chamadas danças astroteológicas em homenagem a Osíris. Na Grécia, a dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos olímpicos.[1] A dança se caracteriza pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre).[2] Na maior parte dos casos, a dança, com passos cadenciados é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela.
A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento ou cerimônia. Como arte, a dança se expressa através dos signos de movimento, com ou sem ligação musical, para um determinado público, que ao longo do tempo foi se desvinculando das particularidades do teatro.
Atualmente, a dança se manifesta nas ruas em eventos como "Dança em Trânsito", sob a forma de vídeo, no chamado "vídeodança", e em qualquer outro ambiente em que for contextualizado o propósito artístico.

Índice

História da dança

Apresentação de um grupo de dança.
A história da dança cênica representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos através do tempo.
Com o Balé Clássico, as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. Com as transformações sociais da época moderna, começou-se a questionar certos virtuosismos presentes no balé e começaram a aparecer diferentes movimentos de Dança Moderna. É importante notar que nesse momento, o contexto social inferia muito nas realizações artísticas, fazendo com que então a Dança Moderna Americana acabasse por se tornar bem diferente da Dança Moderna Européia, mesmo que tendo alguns elementos em comum.
A dança contemporânea como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas (vídeo, instalações). Foi essa também muito influenciada pelas novas condições sociais - individualismo crescente, urbanização, propagação e importâncias da mídia, fazendo surgir novas propostas de arte, provocando também fusões com outras áreas artísticas como o teatro por exemplo.

Dança e educação

A dança no contexto educacional brasileiro aparece como conteúdo da disciplina Artes e nas atividades Ritmicas e Expressivas da Educação Física . A dança é trabalhada na escola como atividade e linguagem artística, forma de expressão,socialização, como conceito e linguagem estética de arte corporal e Cultura Corporal de Movimento Humano. Também pode ser utilizada de forma instrumental, assim como a ginástica, os esportes e as lutas, enfocando o aspecto bio-fisiológico, e forma de atividade para condicionamento físico, visando bem estar e saúde em clubes, academias e demais espaços de lazer
Existem cursos de baicharelado em Dança que qualificam profissionais de dança, seja o artista bailarino, dançarino ou coreógrafo.
O ensino da dança nas escolas brasileiras é abordado dentro do conteúdo das Artes, segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (fonte www.mec.gov.br)constitui componente curricular obrigatório, contemplando para o ensino fundamental Artes Visuais, Dança, Música e Teatro, e, para o ensino médio, além destas linguagens já citadas, há a inclusão das Artes Audiovisuais. (PCN - BRASIL, 2000, p. 46)[3]
A abordagem da dança dentro do contexto da educação física é complementar e deve auxiliar no preparo físico para que os profissionais de artes possam atuar.
A dança é uma área de conhecimento autônoma, até mesmo dentro das Artes, e é preciso ser respeitada e reconhecida como tal. A formação para professores e artistas de dança é adquirida nos cursos superiores de dança (bacharelados e licenciaturas) e a profissão é regulamentada pela Lei 6.533/78 a Lei do Artista. [4]

Classificação e gêneros

Várias classificações das danças podem ser feitas, levando-se em conta diferentes critérios.

Estudos e técnicas de dança

No início dos anos 1920, os estudos de dança (dança prática, teoria crítica, análise musical e história) começaram a ser considerados uma disciplina acadêmica. Hoje, esses estudos são parte integrante de muitos programas de artes e humanidades das universidades. No final do século XX, o reconhecimento do conhecimento prático como equiparado ao conhecimento acadêmico levou ao aparecimento da [pesquisa prática]] e da prática como pesquisa. Uma grande variedade de cursos de dança estão disponíveis, incluindo:
Graus acadêmicos estão disponíveis desde o bacharelado até o doutorado e também programas de pós-doutorado, com alguns estudiosos de dança fazendo os seus estudos como estudantes maduros depois de uma carreira profissional de dança.

Competições de dança

Uma competição de dança é um evento organizado em que os concorrentes executam danças perante um juiz ou juízes visando prêmios e, em alguns casos, prêmios em dinheiro. Existem vários tipos principais de competições de dança, que se distinguem principalmente pelo estilo ou estilos de dança executados. Os principais tipos de competições de dança incluem:
Hoje, há vários concursos de dança na televisão e na internet.

Ballet de repertório

Ver também

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons

Referências

terça-feira, 26 de junho de 2012

Morre ultima da especie das tartarugas gigantes


Morre George Solitário, última tartaruga gigante de sua Tartaruga gigante dos Galápagos morre


Por Pedro Sibahi | 25/06/2012 - Atualizada às 16:50
Fonte:  http://www.bio-ideias.com/2012/06/morre-ultima-tartaruga-gigante-das.html 
Tartaruga gigante era última da espécie
Tartaruga gigante era última da espécie
Foto: putneymark/Flickr
1 
No domingo (24), de Junho de 2012 morreu a última tartaruga gigante de Galápagos da subespécie chelonoidis nigra abingdoni. O animal, conhecido como George Solitário (Lonesome George), era natural da ilha Pinta, que compõe o arquipélago, mas vivia na estação de pesquisa Charles Darwin, na Ilha de Santa Cruz. 

De acordo com estimativas de pesquisadores, a tartaruga de 90 quilos tinha mais de 100 anos. Acredita-se que o animal tenha morrido por causas naturais, mas seu corpo foi preservado para ser analisado em autópsia.

George era o último exemplar de uma subespécie que foi dizimada por conta da interferência humana no arquipélago. Colonizadores de diversas épocas trouxeram animais, como cabras e porcos, que destruíram o habitat natural do réptil, reduzindo drasticamente sua população.

Apesar de não haver mais exemplares conhecidos na natureza, análises de DNA realizadas em 2007 indicaram que a Ilha Isabela, parte de Galápagos, poderia abrigar espécies selvagens similares à de George, mas nenhuma foi vista até hoje. 

Em 2009, uma tartaruga chamada Tony, do Zoológio de Praga, também foi apontada como possível exemplar de chelonoidis nigra, por causa do formato e cores de sua carcaça. Ela nasceu em 1960, e está no zoológico desde 1972, mas sua espécie não foi confirmada.

A tartaruga George se tornou um símbolo do Arquipélago de Galápagos e da luta pela recuperação do meio ambiente na região. A eliminação das cabras e porcos nas ilhas do arquipélago, terminada definitivamente em 2006, foi estimulada pela ameaça ao réptil. 

O animal também foi alvo de um grande esforço para a continuidade da espécie, com duas tentativas frustradas de cruzamento com tartarugas similares em 2008 e 2009, trazidas de ilhas vizinhas. Infelizmente os ovos que nasceram não se desenvolveram completamente e a tartaruga gigante de Galápagos acabou extinta com a morte de George. 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Parabens pelos 100 anos dos Cursos Dale Carnegie


Foto do perfil

Parabéns pelos 100 anos dos Cursos Dale Carnegie






Homenagem a 3 pessoas que mudaram para melhor a minha vida:
Dale Carnegie
Margaret Anderson
Gracila Dallabrida Stolf
‎1912...nascia o DALE CARNEGIE COURSE!!! Amanhã tenho a forte responsabilidade de ministrar em Blumenau, a palestra alusiva aos 100 anos dessa história!!! Aprecio essa foto do homem que conseguiu traduzir uma metodologia que apoia as pessoas a serem, adequadamente comunicativas, se relacionem com habilidade e sejam "sua melhor versão a cada dia"!!!
 















Dale Carnegie - 1912














Gracila Dallabrida Stolf (fonte Facebook) - 2012




O que e Durchlaufzeit tempo de producao

O que é Durchlaufzeit, tempo de produção?
Tambem chamado de  Throughput em Inglês.

Tempo de produçãoFonte: Wikipedia
http://de.wikipedia.org/wiki/DurchlaufzeitO tempo de trânsito (tempo de processamento Inglês, ou simplesmementge o tempo de processamento) é o tempo que leva para uma entidade ao passar através de um sistema.  

O cálculo do tempo de avanço depende do sistema particular e dos tipos de entidade.

Conteúdo

1- 
tempo de espera na produção
    
2-  redução do tempo de ciclo
    
3 - Lei de Little
    
4-  Ver também
    
5-  ReferênciasTempo de produção no processo produtivoDentro do fabrico, o tempo de avanço é  a quantidade de tempo necessária para o início do processamento até a conclusão de um produto.  


Especificamente, o tempo de avanço é composto de tempo de preparação, o tempo de processamento e o tempo de espera.Como parte da sequência que o problema é resolvido por programação, os três períodos são o como se segue:

    
O tempo de espera é o tempo de espera do produto indesejável ​​no sistema de produção.


    
O tempo de processamento é o tempo que é necessário industrialmente para o fabrico do produto.


 Este inclui, portanto, tempo parado deliberadamente, tal como a secagem depois da pintura.

    
O tempo de configuração é derivado a partir da propriedade de alguns recursos de ser capaz de executar diversas operações.  


Para isso, o recurso deve, contudo, ser colocado em bom estado (pronta).  

 

Um exemplo simples é um processador de alimentos, que está equipado apenas com a lâmina certa para um tratamento proposto.Tempo de funcionamento de acordo com REFABasicamente, temos diferentes tipos de REFA:

1-
As pessoas (Ação - Stop - Relax): E um período de contrato relacionado com a atividade.


 2-  
O equipamento (Uso - Pausa) e equipamentos associados, juntamente com o tempo necessário para o tempo de configuração e afetação do tempo


 3-  
O objeto de trabalho (modificar, testes, demoras, acompanhamentos).

Uma vez que a distinção é irrelevante para o tempo de ciclo, e os tempos para testes e os recursos são definidos de forma simétrica, fala-se do tempo de processamento como um termo de implementação.  


Aqui estão as principais condições para  implementar o tempo de execução.



O tempo de processamento real pode ser estendido ao longo do planejado por um termo complementar, formado a partir do tempo de interrupção de falha e contingentes passagens adicionais.

Para o tempo de processamento por vários sistemas de trabalho adicionados aos seus tempos de processamento individuais com a adição de cada intervalo, o convés, armazenamento e transporte vezes entre os sistemas de trabalho representada.  



Isto faz com que a Refa, dada a incerteza factual acima, na definição habitual (exatamente quando começa o processo: Ocorre  emissão de uma disposição  de contrato de construção ao passo que o primeiro material é concluído exatamente quando a conclusão do produto na disposição de tratamento final é despachada ... ) para dar uma indicação clara do que pertence ao tempo de ciclo e o que não. 

Para usar como exemplo,  uma medida de tempo de ciclo pode ser dividida em tempo médio de fluxo e de trabalho relacionado com o tempo de processamento.  

Neste contexto o tempo de ciclo é o tempo para a produção de complexos de ordem inteira.


 Reduzir o tempo de resposta

O objetivo na fabricação, e este deverá sempre ser,  é o de manter o custo de uma ordem de produção tão baixo quanto possível.  



Isto pode ser conseguido, por entre outros meios, reduzindo o tempo de transferência, entretanto nesta redução a qualidade da produção não deve ser afetada.

    
Existe, em primeiro lugar a possibilidade de aumentar a capacidade de um local de trabalho.  


Pela maior capacidade pode ser produzido mais no mesmo tempo (rendimento).  

O conceito é útil apenas em pontos de estrangulamento (ver: Teoria das Restrições, gargalo (logística) e programa de produção).


    
Por outro lado, o rendimento pode ser aumentado por uma maior intensidade (por exemplo, aumentando a potência elétrica), porque a relação entre o tempo processamento e de transferência é inversa.


 As possibilidades são geralmente baixas, mas, como é geralmente o melhor desempenho dos equipamentos é o do melhor ritmo para as pessoas que já estão no pipeline.

 
    
Para salvar o tempo de configuração, semelhante aos contratos a serem feitos imediatamente,  estes podem ser combinados em um único trabalho (muitos dos casos).  


O resultado não é o tempo de preparação para cada posto de trabalho, mas somente para o primeiro.  

Ao aumentar o tamanho do lote, o tempo médio de processamento por peça irá ser reduzido no sistema de trabalho individual, e os tempos de processamento para ordens e o tempo médio de processamento podem aumentar significativamente devido ao fato de haver tempos de espera extra e os tempos de espera são sempre indesejáveis.

O dimensionamento de lotes também afeta a flexibilidade e a capacidade de entrega.


    
O potencial principal reside, portanto, na organização de processamento de pedidos e organização do trabalho.  



Por exemplo, considere e feito na produção em série do  conceito de fluxo de uma só peça sobre a redução do tempo de ciclo.

    
Os tempos de transporte podem ser (ligeiramente) reduzidos pelas instalações de produção quando estas estão localizados sensatamente e quando são utilizados sistemas de alta velocidade.



    
São formados (fabricação do lote transporte lote <>) de uma grande quantidade de produtos parciais para o transporte,  estes já podem ser processados através da sobreposição de operações, em um primeiro sub-sistema de trabalho de B, enquanto um sistema de trabalho produz o segunda sub-lote. Idealmente, você está de volta em um fluxo de produção por peça.



Lei de LittleDe acordo com a lei temos a seguinte relação entre o tempo de entrega, o inventário e transferência:PLT = \ frac {} {taxa em processo}em que:DLZ: tempo de ciclo (unidade: tempo) 



Literatura

    
Joachim Käschel, Tobias Teich: Gestão da Produção, 1 Ed, GUC Verlag, 2004, ISBN 3-934235-19-0


Categorias:

    
Trabalho Estudo
    
Planejamento e organização
    
Gestão da Produção
    
Logística de Produção

O que e Poka-Yoke

O que é Poka-Yoke?

Poka-Yoke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
 
 
Ir para: navegação, pesquisa
Poka-yoke (pronuncia-se pocá-ioquê) é um dispositivo a prova de erros destinado a evitar a ocorrência de defeitos em processos de fabricação e/ou na utilização de produtos. Este conceito faz parte do Sistema Toyota de Produção e foi desenvolvido primeiramente por Shigeo Shingo, a partir do princípio do "não-custo". Um exemplo é a impossibilidade de remover a chave da ignição de um automóvel se a sua transmissão automática não estiver em "ponto morto", assim o motorista não pode cometer o erro de sair do carro em condições inseguras.
Segundo Shingo (1996, p.55), inspeção sucessiva, auto-inspeção e inspeção da fonte podem ser todas alcançadas através do uso de métodos Poka-yoke. O Poka-yoke possibilita a inspeção 100% através de controle físico ou mecânico. Quanto às funções de regulagem do Poka-yoke há duas maneiras onde ele pode ser usado para corrigir erros:
  • Método de Controle: Quando o Poka-yoke é ativado, a máquina ou linha de processamento pára, de forma que o problema possa ser corrigido.
  • Método de advertência: Quando o Poka-yoke é ativado um alarme soa ou uma luz sinaliza, visando alertar o trabalhador.
O Poka-yoke de controle é o dispositivo corretivo mais poderoso, porque paralisa o processo até que a condição causadora do defeito tenha sido corrigida. O Poka-yoke de advertência permite que o processo que está gerando o defeito continue, caso os trabalhadores não atendam ao aviso. A freqüência com que ocorrem os defeitos e o fato deles poderem ou não ser corrigidos, uma vez que tenham ocorrido, irá influenciar na escolha entre esses dois métodos. Defeitos mais freqüentes ou impossíveis de serem corrigidos exigem um Poka-yoke de controle, enquanto que se a freqüência de defeitos é baixa e o defeito é possível de ser corrigido é preferível um Poka-yoke de advertência. O Poka-yoke de controle é o mais eficiente na maioria dos casos.

Funções determinantes do Poka-Yoke

Segundo Shingo (op. cit.) há três tipos de Poka-yoke de controle:
  • Método de contato: Identifica os defeitos em virtude da existência ou não de contato entre o dispositivo e alguma característica ligada à forma ou dimensão do produto.
  • Método de conjunto: Determina se um dado número de atividades previstas são executadas.
  • Método de etapas: Determina se são seguidos os estágios ou operações estabelecidas por um dado procedimento.

Escolha de um método Poka-Yoke

Shingo (op. cit.) afirma que o dispositivo Poka-yoke em si não é um sistema de inspeção, mas um método de detectar defeitos ou erros que pode ser usado para satisfazer uma determinada função de inspeção. A inspeção que é um objetivo, enquanto o Poka-Yoke é simplesmente o método. Por exemplo, um gabarito que rejeita uma peça processada incorretamente é um Poka-Yoke que desempenha a função de inspeção sucessiva. Se a inspeção sucessiva, aquela que detecta defeitos depois que eles ocorrem, não é a maneira mais eficaz de eliminar os defeitos naquele processo específico, um outro sistema deve ser usado.
Portanto, o primeiro passo na escolha e adoção de métodos de controle de qualidade efetivos é identificar o sistema de inspeção que melhor satisfaz as necessidades de determinado processo. O passo seguinte é identificar um método de Poka-Yoke (controle ou advertência) que seja capaz de satisfazer a inspeção desejada. Somente depois de definido o método apropriado, deve-se considerar qual o tipo do dispositivo Poka-Yoke (contato, conjunto ou etapas).

Referências

  • Nikkan Kogyo Shimbun, Ltd.: Poka-Yoke: Improving Product Quality By Preventing Defects Productivity Press, 1987 (Japanese), 1988 (English), ISBN 0915299313.
  • Shingo, Shingeo, O Sistema Toyota de Produção do ponto de vista da Engenharia de Produção, Bookman, Porto Alegre, 1996 (português), ISBN 8573071699.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Atingi mais de um milhao de visitas no Blogger

Estimado leitor,









Graças ao seu continuado interesse e visitação ultrapassei hoje, 21 de Junho de 2012 a marca de mais de um milhão de visitas às minhas páginas Blogger.

Confira na estatística abaixo este resultado.
Muito obrigado, estimado leitor. Volte sempre,
Jorge Purgly


Recordar e viver confira a bela foto da familia Lottin

Recordar é viver. Confira a bela foto da família Lottin.
Meus colegas do Senai Blumenau.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O que e pictograma


Pictograma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.











Confira a figura em tamanho maior abaixo.
Atualmente, o uso do pictograma tem sido
 muito frequente naUm pictograma
 ou pictógrafo[1](do latim pictu - pintado + grego
 γράμμα - carácter, letra)
 é um símbolo que representa um objeto
 ou conceito por meio de desenhos figurativos.
Pictografia é a forma de escrita pela qual
 idéias e objetivos são transmitido
através de desenhos. Suas origens na
 antiguidade são a escrita
 cuneiforme e dos hieróglifos
mas sua principal origem na
 modernidade foi o sistema de 
representação pictórica internaciona
l desenvolvido em Viena pelo 
movimento ISOTYPE.











































 sinalização de locais públicos, 
na infografia, e em várias
 representações esquemáticas 
de diversas peças dedesign gráfico.
 Embora os pictogramas pareçam 
ser absolutamente auto-explicativos
 e universais, em realidade, eles
 possuem limitações culturais.
 Em se tratando de pictogramas
 de banheiro, onde o sexo é
 diferenciado por uma representação
 de uma figura feminina usando uma saia,
 ocorre problemas de identificação por
 usuários não-ocidentais. 
Estudos mostraram que homens 
de culturas em que o uso de saias
 masculinas é comum
, como alguns povos árabes,
 têm dificuldade em compreender
 a diferenciação entre sexos
 em pictogramas ocidentais.


Para saber mais, clique em mais informações, abaixo.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Desenho do jovem Isac Correia de 11 anos em 2012


Posted by PicasaIsac Correa de 11 anos.
Desenho feito em 2012, durante uma aula de inglês.
Além de muito interesse, Isac demonstra bons conhecimentos.
O desenho é muito interessante.
Confira!

terça-feira, 12 de junho de 2012

Ordem do Merito da Alemana Outorgado ao meu ex Diretor da Siemens Hans Gerhard Schorer

Discurso do Embaixador Wilfried Grolig por ocasião da Outorga da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha ao Sr. Hans Gerhard Schorer (11.09.11, Curitiba)

Fonte  http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/11__Presse/Discursos/Discurso__Embaixador__Hans_20Gerhard_20Schorer.html

 

Digníssimo Senhor Hans Gerhard Schorer,
Prezada Senhora Luiza Schorer,
Prezados Familiares,
Excelentíssimo Senhor Governador,
Demais Excelências,
Prezado Cônsul Honorário Hoffrichter,
Em toda a sua vida, o Senhor sempre prestou um valioso trabalho em prol dos laços que unem o Brasil e a Alemanha. 


Apesar de ter nascido em São Paulo, sua constante foi e é a estreita ligação com a Alemanha, com a língua, a cultura e a indústria alemãs. 

Após concluir o curso de Engenharia Elétrica, o Senhor conquistou logo ascensão profissional e, com sua contratação em 1973 pela Siemens em Munique, seu contato com a Alemanha foi consolidado. 

Após seu retorno ao Brasil, o Senhor assumiu, voluntariamente, funções com muito engajamento em diretorias escolares, em áreas universitárias, em federações, entidades de classe e na Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, cujo trabalho foi sempre apreciado. 

O Senhor sempre considerou uma importante tarefa a promoção de jovens na amizade teuto-brasileira. 

De1989 a 1991, o Senhor atuou como Presidente da entidade mantenedora do Colegio Humboldt, a escola alemã em São Paulo. 

Com sua transferência para o Paraná para a estruturação do departamento de Tecnologia, competente para todo o Brasil e sua nomeação como diretor em 1991, seu engajamento social foi também transferido para Curitiba, onde deu prosseguimento imediato a esse engajamento. 

Foi membro do Conselho Consultivo do Centro Federal de Educação Tecnológica e atuou como membro do Conselho de Desenvolvimento da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Durante muitos anos, o Senhor foi membro da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, filial de Curitiba e diretor de1998 a 2004.  

Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda